01

Viva a Diferença

8 de abril de 2016

Dizem que a principal diferença entre o homem e os outros animais é que o Homem é um animal racional. Aquele que pensa, logo existe.

Teorias, o que seria dos teóricos sem elas? Talvez contadores de histórias. Ou nem isso.

Observando o comportamento animal,  você já viu uma macaca chorando porque o macaco disse umas barbaridades pra ela?

Um leão ronronando pelos cantos porque a leoa, há dias, não liga mais?

Que tal um lobo atiçando a matilha contra o bando de avestruzes, só porque eles não tinham coisa melhor pra fazer? Não. Eu sei que você nunca viu. Nem no National Geographic Channel. Simplesmente, porque não funciona assim no reino animal. É justamente por isso que funciona! Por essa mesma razão, a natureza tem seus chamados Reinos e não Sociedades.

Bicho come quando tem fome. Quando tem sede, ele bebe. Cruza quando está no cio. Protege seus filhotes, mas quando ouve o chamado da maturidade, bota pra correr.

Bicho rola de barriga pra cima quando faz sol. Se defende atacando. Só mata pra sobreviver. Isso tudo eles fazem “sem pensar”, tá?

Bicho-homem, não. Pensante por natureza, é domesticado desde pequenininho. Não faça isso! Não toque naquilo! Isso não pode! Assim, não! Tire o dedo do nariz! Não coloque a mão na boca! Não coloque a mão na bunda! Não diga bunda! Não mexa! Não corra! Não!

O aprendizado do Homem nunca termina. Sua vida é repleta de conhecimento. Só é estranha a maneira como ele decide como e quando usar todo esse poder cognitivo. Tem gente que descobre vacinas. Tem gente que aprimora venenos. Um deles inventou a bomba hidráulica. Outro inventou a bomba atômica.

Ser humano inventou a farsa, o teatro. Um jeito de mostrar pro mundo as várias faces que se pode ter. A verdade travestida de mentira, com aplausos no final.

Tem bicho que entra em extinção, tamanha matança que o Pensador promove. Bicho-homem, não. Por mais chacinas que ele providencie, a densidade demográfica vai sempre pro alto. E avante.

Estão clonando os bichos, é verdade. Reproduzindo animaizinhos em escala industrial. Agora a meta é clonar o inventor do clone. Pra um clone clonar o outro é um pulo. Quem viver verá.

Mas essas diferenças hoje não têm muita importância.

Já tiveram, quando a humanidade se relacionava. Hoje, não. O negócio é todo feito por sinais invisíveis que se estendem pelo ar. Cabos. Satélites, criptografia. Ninguém mais precisa sair gritando por aí pra humilhar, ofender. Nem pra fazer carinho. A tecnologia deu conta disso também. ‘Adicionar’ ou ‘Deletar’, questões modernas, coisa de clique. Admirável mundo novo, como previu um livro que hoje é considerado velho. De outro século, exatamente.

Estou quase entregando os pontos, devolvendo meu diploma de racional. Nessa brincadeira de um dia ser bigorna pra no outro ser martelo, a gente perde muitos pedaços, vai ficando manco, perde o pelo e o brilho. Igual aos bichos, mesmo.

Já que a comparação é inevitável, vou embarcar nela de vez. Igual gato escaldado, vou rolar na grama de barriga pra cima. Aproveitar o sol. Ofereço meu mindinho pro mundo, cansei de brigar. Tô de bem.

3 thoughts on “Viva a Diferença

  1. Penso,logo existo.
    Tinha uns 8 anos quando perguntei a meu pai se havia alguma hora do dia em que não estávamos pensando…
    Ele me respondeu:tem,quando dormimos.
    E tudo que existe pensa?
    Não…As pedras existem e não pensam.
    Sempre quis “dormir feito uma pedra” e nunca me foi possível.
    Achava que para ser um bom humano,uma pessoa que valia a pena,era necessário sempre pensar.
    Pensar no futuro.Pensar no próximo. Pensar no mundo a sua volta.
    Agora velha,ser nem pedra e nem gente.
    Ser bicho:aquela que antes de mais nada sente.
    E sinto muito.Pela cabeças de animais e corações de pedra daqueles que esqueceram quem são.
    Homem o ser do raciocínio.

  2. Sempre me pergunto quem é mais racional, eu ou meus cachorros. Sempre não me respondo por ter dúvidas.
    Bem vinda 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *